26.9 C
Rio de Janeiro
Home Rio de Janeiro Secretaria de Educação diz que aprovação automática pode evitar a evasão escolar...

Secretaria de Educação diz que aprovação automática pode evitar a evasão escolar em 2021


Segundo Comte Bittencourt, existe o risco de que 210 mil estudantes abandonem a escola no próximo ano letivo e esta é uma forma de ‘reforçar vínculos’ com os alunos, enquanto os professores trabalham para suprir deficiências ao longo do próximo ano. Estudantes da rede estadual não serão reprovados em 2020
O secretário de Educação do Estado do Rio de Janeiro, Comte Bittencourt, afirmou em entrevista ao Bom Dia Rio que a aprovação automática dos alunos da rede estadual de ensino este ano é uma forma de evitar a evasão escolar de estudantes que não tiveram contato com a vida acadêmica ao longo dos sete meses da pandemia do coronavírus.
Segundo ele, existe o risco de que 210 mil estudantes abandonem a escola no próximo ano letivo e esta é uma forma de “reforçar vínculos” com os alunos. Para Comte, o ideal é trabalhar no sistema continuo ou de bloco, recuperando objetivos educacionais que não foram alcançados este ano.
“O menino do 6°ano continua na rede por mais sete anos, não temos que ter pressa e nem aceleração de progressão em um ano pandêmico, que é um desafio para o mundo. A opção do governo é recuperar o vínculo desse quase meio milhão de jovens e adolescentes do estado do Rio de Janeiro”, disse o secretário.
O RJ possui 411 mil alunos no ensino regular e 89 mil no ensino de jovens e adultos (EJA).
Aprovação automática em 2020 é necessária para reduzir evasão escolar, diz especialista
RJ terá aprovação automática em 2020
Reprodução/ TV Globo
RJ terá aprovação automática em 2020
Reprodução/ TV Globo
Comte afirmou que uma equipe de especialistas da secretaria e de outras instituições estão trabalhando em ferramentas para fazer um diagnóstico individualizado da situação acadêmica de cada aluno.
“Aqui no Rio, quando se fala em aprovação automática nos remete ao período dos anos 80 em que a aprovação automática era contínua e sistêmica na educação pública. Isso é cruel com a escola, pois é local de estabelecer responsabilidades, de construir currículo de aprendizado. Mas em 2020, o mundo todo não fala em reprovação. Temos que olhar 2020 como uma parte de 21 e até de 22, se for necessário. Nós vamos criar itinerários dando aos professores diversas ferramentas avaliativas para que cada aluno possa recuperar os objetivos escolares”, disse o secretário.
Aulas presenciais do 3°ano voltarão dia 19 de outubro no Estado do Rio de Janeiro
Reprodução/TV Globo
Retorno das aulas
As aulas do 3º ano do ensino médio da rede estadual de ensino serão retomadas de forma presencial no dia 19 de outubro. Ao todo, são 126 mil alunos inscritos nessa série.
A prioridade são os alunos que vão fazer as provas do Enem. Serão cerca de 35 dias letivos — com possibilidade de aulas aos sábados — até a data da primeira prova, em 17 de janeiro.
A modalidade de ensino remoto, no entanto, seguirá sendo oferecida para alunos do último ano que preferirem por ficar em casa.
Cláudio Castro detalha retomada das aulas presenciais no RJ
Cristina Boeckel/G1 Rio
Alunos relatam problemas
A falta de acesso à internet de qualidade faz parte dos relatos dos estudantes que, no último ano, encontram dificuldades na preparação para o Enem.
“Este foi um ano complicadíssimo para todos nós, até mesmo para os professores, porque muitos de nós não tivemos estrutura e o Estado não proporcionou estrutura suficiente para nós. Muitas pessoas não têm internet em casa, assim como eu, que não tive acesso às aulas. Não tinha com quem e como tirar as dúvidas, por falta de internet. E teve muita gente que desistiu de continuar estudando”, afirmou Samira Oliveira de Lima.
Para outra estudante, as aulas presenciais eram a única chance de buscar uma formação de qualidade.
“A única forma de conseguirmos estudar com uma educação de qualidade é irmos na escola. E não podemos fazer isso. Uma das coisas que o governo poderia fazer para ajudar a gente é criar leis, aprovar e colocar em prática. Dar suporte aos alunos e escutarem nossas demandas”, disse Weylla Moraes.
Segundo o secretário Comte, o Rio de Janeiro vive um “apagão” na educação.
“Essa aluna vai disputar vagas nas nossa universidades com meninos de outras redes, de outros estados, que não tiveram esse apagão educacional que o estado do Rio teve. Então, apresentar uma alternativa presencial apenas para os alunos da terminalidade do ensino médio é uma obrigação nossa de educadores do Rio de Janeiro”, disse o secretário.
Ele afirmou que as escolas estão preparadas do ponto de vista sanitário e destacou que os professores que não puderem voltar farão uma autodeclaração caso tenham uma comorbidade ou mais de 60 anos.
Material será distribuído
Comte Bittencourt destacou ainda que o alunos do 6º ano do ensino fundamental ao 2º ano do ensino médio não vão retomar as atividades presenciais este ano.
Esse grupo receberá material escolar em casa, que começa a ser distribuído na próxima semana.
“Estamos analisando cada território, cada região. Vamos usar todos os meios possíveis para que este material chegue na casa do aluno e volte o recibo para a gente retomar esse vínculo escolar do aluno com o sistema de educação”, disse o secretário.
VÍDEOS: as notícias mais assistidas do G1

- Advertisement -