23.6 C
Rio de Janeiro
Home Rio de Janeiro Moradores de Santa Teresa reclamam da falta de ônibus no bairro

Moradores de Santa Teresa reclamam da falta de ônibus no bairro


Quem precisa do transporte público na região diz que durante o dia a espera é grande e à noite os ônibus não rodam. A Prefeitura admite que as três linhas que deveriam atender os moradores têm problemas de circulação. Moradores de Santa Teresa reclamam da falta de ônibus no bairro
Moradores de Santa Teresa, no Centro do Rio, estão revoltados com a falta de circulação de ônibus no bairro. Segundo relatos, durante o dia os veículos demoram a passar e à noite eles param de rodar pela região.
A Prefeitura admite que as três linhas de ônibus que deveriam atender os moradores têm problemas de circulação e que já acionou a Rio Ônibus para tentar resolver o problema.
Para o comerciante Erasmo Carlos, a situação é revoltante. Segundo ele, depois das 20h, simplesmente não existem opções de transportes públicos em Santa Teresa.
“Ônibus aqui em Santa Teresa tá uma pouca vergonha. Quando dá 20h, 20h30, já não tem mais condução. Você espera uma hora aqui para subir uma condução ou então pra descer. E como é que o morador faz? Eles cobram um preço absurdo pra chegar na hora e não ter condução em santa Teresa. Fica difícil”, comentou o morador.
De acordo com frequentadores do bairro, as linhas que deveriam oferecer o serviço público são a 006, 014 e 007. Mas segundo relatos, as únicas opções de transporte em Santa Teresa são as vans irregulares e os mototáxis.
“A periodicidade é muito longa e a gente não consegue ter uma sequência no transporte público. A gente fica horas e horas no ponto de ônibus. A gente fica refém do transporte alternativo como mototáxi e as vans irregulares. Nas redes sociais os moradores comentam que está mais fácil aparecer um disco voador do que o 007”, disse Carlos Antônio Alves.
A falta de transporte público agrava um outro problema na região, a falta de segurança. Na opinião da estudante Chakyra de Andrade, voltar pra casa depois da faculdade é sempre um risco. Ela se sente vulnerável tendo que subir as ladeiras de Santa Teresa a pé.
“Eu sou universitária também e para voltar da faculdade eu já tive que pedir aplicativo, rachar com pessoas no ponto muitas vezes. Eu tive que voltar andando no escuro, sozinha e eu como mulher fico bem preocupada com isso. É muito difícil pra gente de manhã. Pra ir pro trabalho, eu tenho que me reprogramar antes no ponto pra poder pegar o ônibus”, contou a estudante.
Nem ônibus e nem bonde
Além de não rodar pelo bairro com frequência, os veículos que chegam em Santa Teresa também sofrem com a falta de conservação, segundo moradores.
Outra reclamação constante na região é pela falta do bonde.
Bonde de Santa Teresa opera em mais um trecho a partir desta segunda
Divulgação/Henrique Freire
Em junho desse ano, um decreto municipal autorizou a retomada da operação do sistema de bondes de Santa Teresa. O problema é que os horários e o trajeto percorrido foram reduzidos.
De acordo com o decreto, o funcionamento só ocorre de segunda a sábado, das 10h às 16h. E as viagens são a cada hora, intercalando os trajetos entre Carioca – Largo dos Guimarães e Carioca – Dois Irmãos.
Segundo os moradores, já são 9 anos que esse meio de transporte também não atende a população da forma como deveria.
“A gente tá sem o bonde há 9 anos sem chegar no Largo das Neves. Toda população que viajava entre Guimarães e o Largo das Neves está sem bonde. Mas numa boa, a gente já desce a pé e eu acho até que é isso que eles querem. Que a gente se vire e não precise mais dessa linha”, disse Bernard.
“Não me adianta um bonde que não me deixa no Largo das Neves, que me deixa no meio do caminho. To aguardando há nove anos. Até o Ministério Público já veio aqui na época do bonde. Eu até queria saber do Ministério Público. Eu queria saber disso. To boiando”, reclamou o morador.
O que diz a prefeitura
A Secretaria Municipal de Transportes admite que as três linhas de Santa Teresa têm problemas de circulação e disse que já acionou a Rio Ônibus. A prefeitura pede aos passageiros que façam as reclamações pelo telefone 98909-3717.
A equipe do RJ1 entrou em contato com a Rio Ônibus, mas a empresa não respondeu.
Já a Secretaria Estadual de Transportes informou que por causa da pandemia os bondes só circulam das 8h às 16h, nos dias de semana, e das 10h às 16h, aos sábados, com viagens de hora em hora.

- Advertisement -

Conecte

0FansLike
10FollowersFollow