23 C
Rio de Janeiro
Home Rio de Janeiro Witzel usa trechos iguais ao da Wikipédia em defesa entregue a tribunal...

Witzel usa trechos iguais ao da Wikipédia em defesa entregue a tribunal que julga impeachment


Biografia do governador afastado citada no documento é a mesma da enciclopédia virtual; Witzel alega ter escrito o verbete. Documento de defesa de Witzel tem cópias do perfil do governador afastado na Wikipédia
O documento de defesa do governador afastado do Rio, Wilson Witzel (PSC), entregue ao tribunal misto tem trechos inteiros copiados do perfil do político na enciclopédia virtual Wikipédia. A Corte será responsável pelo julgamento do pedido de impeachment.
Nas 49 páginas, a parte dedicada a sua biografia é exatamente igual ao do site. Os textos dizem, por exemplo:
“Após concluir o ensino fundamental e médio, formou-se em um curso técnico de topografia. Aos 18 anos, entrou na Escola de Formação de Oficiais da Marinha e, aos 20 anos, foi fuzileiro naval. Permaneceu na Marinha até o ano de 1992, quando chegou ao posto de segundo-tenente”.
A defesa de Witzel disse que o próprio governador afastado é quem forneceu os textos sobre o seu perfil, que ele mesmo havia criado na Wikipedia. Por isso, segundo ele, alguns trechos do documento são iguais.
Em outro trecho, há menções ao curso de Direito e ao Mestrado. Passando o mouse por cima do que escreveram os advogados, é possível perceber que até mesmo os links para as palavras-chave são os mesmos — ou seja, que provavelmente foram copiados e colados.
Foto de arquivo de 26 de março de 2020 do governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), no Palácio Guanabara, sede do governo estadual.
Wilton Junior/Estadão Conteúdo
Na defesa, Witzel diz que Mário Peixoto não era dono da Organização Social Unir Saúde, diferentemente do que apontam as investigações do Ministério Público Federal (MPF).
Segundo os advogados, o verdadeiro responsável pela OS é o ex-prefeito de Nova Iguaçu, Nelson Bornier.
Em uma gravação telefônica autorizada pela Justiça, Luiz Roberto Martins, apontado como operador financeiro do empresário Mário Peixoto, se refere à requalificação da OS afirmando “diz o Mário que foi ele que acertou junto com o governador”.
Mário, segundo a defesa de Witzel, é Mario Marques, subsecretário de comunicação do governo do estado. O pai de Mário, que também se chamava Mario Marques, foi vice-prefeito de Bornier em Nova Iguaçu.
A nova versão apresentada pela defesa de Witzel será analisada pelo relator do processo de impeachment, o deputado Waldeck Carneiro (PT).
O parlamentar tem até o dia 29 para prepara um parecer se o tribunal misto deve prosseguir ou não com o julgamento do impeachment.
O que dizem os citados
Mário Marques afirma que não tem qualquer ligação com Nelson Bornier e que seu trabalho é estritamente técnico.
Nelson Bornier declarou que não tem nenhuma relação com a Unir Saúde e que sequer sabe onde fica a sede.
Initial plugin text

- Advertisement -