- Advertisement -
26 C
Rio de Janeiro
Home Política Se eleito, França não exigirá vacinação obrigatória contra Covid-19 em SP

Se eleito, França não exigirá vacinação obrigatória contra Covid-19 em SP

O candidato à prefeitura de São Paulo Marcio França (PSB) afirmou que não realizará uma campanha de vacinação compulsória contra a Covid-19 se for eleito no pleito de novembro. França declarou que a Constituição garante às pessoas o direito de não se vacinarem por questões religiosas e que é impraticável a imposição de uma sanção contra quem não quiser tomar o imunizante.

“A vacina será obrigatória para as pessoas de bom senso e que representam a maioria da população de São Paulo”, declarou França, em participação na sabatina do projeto VEJA E VOTE. “Só existe uma norma se houver uma sanção. Qual vai ser a sanção? Eu vou mandar prender o sujeito?”, disse.

Para França, a discussão sobre os imunizantes contra o novo coronavírus não deveria ser um tema de campanha, já que a vacina para a doença ainda não teve nem sua eficácia comprovada. Ele afirmou que a discussão é fruto de uma campanha do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para pautar o debate eleitoral no país. Doria é um dos principais envolvidos na discussão para produção do imunizante e faz campanha para o candidato à reeleição em São Paulo, Bruno Covas (PSDB). O tema ganhou notoriedade no noticiário nacional após o presidente Jair Bolsonaro descartar o aporte de recursos do governo federal para distribuir o imunizante que está sendo produzido em São Paulo.

“Essa é uma discussão que tudo dá a entender que ou é Bolsonaro ou é contra o Bolsonaro. Ninguém quer prefeito fraco. Já basta aquele BolsoDoria da eleição passada”, afirmou França. “O governador e o prefeito não podem ficar batendo boca com o presidente. É preciso produzir entendimentos. A eleição de 2022 deixa para depois.”

Continua após a publicidade

- Advertisement -