- Advertisement -
32.3 C
Rio de Janeiro
Home Rio de Janeiro Dez perguntas para Bruno De Luca: Foi muito bom se reinventar na...

Dez perguntas para Bruno De Luca: Foi muito bom se reinventar na pandemia

Em plena pandemia, Bruno De Luca se reinventou e se apaixonou de vez por Stéphany Vidal, repórter do “Domingão do Faustão”. Isolado, sem poder fazer viajar a trabalho e pessoal, ele criou lives beneficentes gravadas na própria casa, emplacou duas novas temporadas do programa “Vai pra onde?”, no Multishow, e estreia no fim de janeiro o “BBB 21 – A Eliminação”, programa comandado por ele no mesmo canal sobre o Big Brother Brasil. Por essas e outras, o apresentador diz que 2020, apesar de ser um ano marcado pela tragédia da pandemia, foi um ano muito bom para ele na vida pessoal e profissional. 

Há mais de 20 anos, conheci o Bruno, saindo da adolescência, quando ele veio ao consultório para tratar espinhas e prevenir queda de cabelo. Ele já era vaidoso naquela época, nunca escondeu os tratamentos e cuidados, mas não tinha tanta disciplina como hoje. Pude acompanhar a vida dele e ver que depois dos 35 anos – ele está com 38 – ele finalmente conseguiu implementar com consistência um estilo de vida mais saudável, priorizando o autocuidado.

1. Você está no ar com a 16ª temporada do “Vai pra Onde?”. Como foi a experiência de gravar na pandemia? Já tem nova temporada nos seus planos?  Bruno De Luca: Foi bem difícil gravar na pandemia, porque o “Vai pra onde?” sempre foi um programa mais comportamental, apresentando os lugares pelo olhar das pessoas locais. O objetivo sempre foi conhecer pessoas e também mostrar as baladas e bares, um ponto alto que tivemos que eliminar agora. Mas foi muito bom se reinventar na pandemia, ver que as coisas podem mudar e mesmo assim dar certo. Eu gravei em Ibiza no ano passado. Por coincidência eu estava indo para lá para outro compromisso profissional e, como tenho passaporte italiano, consegui entrar na Europa e pudemos mostrar bastante o comportamento deles no primeiro relaxamento das medidas sociais. Sobre a próxima temporada, acabei de gravar uma nova acampando. É o “Vai pra onde? Camping”. Fizemos o Jalapão, sul da Bahia e Costa Verde do Rio. Gravamos em dezembro e deve estrear no primeiro semestre

2. Uma curiosidade de dermatologista para você que viaja muito a trabalho, como é sua nécessaire? Você consegue manter os cuidados com a pele, cabelo e corpo durante as gravações? Bruno De Luca: Você me conhece muito bem, Dani, sabe que eu sou um pouco enrolado com todas as recomendações. Se passar creme na pele e produtos de cabelo já é difícil na rotina normal, viajando é fica ainda mais complicado. Confesso que durante muitos anos – o programa já existe há 14 anos ­– eu não levava nada, chutava o balde, queria mesmo era me divertir. Hoje mudei completamente meu comportamento durante as gravações. Faço exercício físico todo dia de manhã, passo meus cremes e meus produtos, porque sei que a idade está chegando e o corpo não é mais autossuficiente.

3.  Quais seus próximos projetos? O que você gostaria de fazer profissionalmente que ainda não realizou? Bruno De Luca: Meu próximo projeto é o BBB 21, que começa agora e termina só em maio. Estou super envolvido nele porque vou fazer o programa “A Eliminação”, no Multishow. Dani, eu amo tudo o que eu faço, realizei grandes sonhos. O fato de eu trabalhar por projetos tem muito a ver com a minha personalidade, por não gostar de rotina. Quanto a um sonho profissional, gostaria muito de ter um programa com plateia, eu gosto muito de animar a galera e de música, tenho vontade de ser um grande animador e me sinto um agitador cultural.

4. Como você enfrentou a pandemia? Tive a sensação de que 2020 foi um ano de projetos profissionais bacanas para você, faz sentido? Bruno De Luca: O ano de 2020 foi realmente muito agitado para mim. Foi de muitos projetos ousados por conta da pandemia, que nos tirou da zona de conforto. A única coisa ruim que aconteceu foi mesmo a pandemia, porque, como cidadão, eu me sinto muito triste de ver o que o mundo e o meu país, que eu amo, estão passando. Mas na minha vida aconteceram muitas coisas maravilhosas em 2020. Eu fiz lives aqui em casa com bandas e brincadeiras, e ainda ajudamos o INCA, e fiz o programa do BBB 20 no Multishow, que foi um sucesso e foi um prazer enorme de fazer. Profissionalmente foi ótimo e na vida pessoal também foi maravilhoso, porque eu passei o ano todo namorando, e ainda estou, graças a Deus!

Continua após a publicidade

5. Você se acha vaidoso? E quando você começou na TV, você se sentiu em algum momento pressionado pelo padrão?  Bruno De Luca: Sou vaidoso, sim, desde pequeno. Fui uma criança gordinha dos 10 aos 16 anos e fiz muitos personagens da TV que eram gordinhos, comilões. Desde pequeno comecei a fazer dieta, me olhar no espelho, me pesar todo dia. Depois eu tive muita espinha, comecei a ir a dermatologistas, e foi quando eu te conheci. Desde cedo eu tenho esse envolvimento com o cuidado do visual. Logo depois comecei a cuidar da queda de cabelo, porque minha família por parte de pai é toda careca, e meu pai sempre incentivou eu e meu irmão a nos cuidarmos. A minha vaidade foi aparecendo conforme eu fui crescendo e querendo ficar mais bonitinho para fazer sucesso com as meninas. Mas nunca me senti enquadrado ou pressionado pelo padrão, porque sempre puxei mais para o lado engraçado, não fazia os galãs.

6. O que você diria para o Bruno com 15 anos? Bruno De Luca: Eu diria: Se divirta, sua espinha vai passar, você vai emagrecer, mas fique sempre alerta. Eu realmente sou uma pessoa muito intensa, então diria para o Bruno de 15 também: Tente sempre manter equilíbrio. Eu tento fazer isso nas minhas conquistas e fracassos, tento nunca ficar muito empolgado com algum resultado bom e tento também não ficar muito arrasado com um resultado que não é bom.

7. Seu estilo de vida mudou depois dos 35? Bruno De Luca: Meu estilo de vida mudou muito depois dos 35. Passei a acordar mais cedo, a me alimentar melhor, a tratar a atividade física como obrigação, rotina. Fiquei mais calmo, mais paciente, menos encrenqueiro, mais tolerante e cada vez mais aberto ao novo, com menos preconceito e menos julgamento, cada vez apontando menos defeito nos outros e tentando melhorar os meus problemas. Sou bem mais leve, easy going, quase um rastafári.

8. Mulheres amigas trocam muita informação sobre cuidados com a beleza, mas os homens nem sempre fazem isso, muitas vezes até escondem. Você aprendeu ou ensinou algum truque de beleza ou de cuidados para algum amigo? Vocês falam sobre isso? Bruno De Luca: Sempre troquei ideias com amigos sobre essas coisas. Não digo truque de beleza, porque “beleza” remete a coisas bonitas, as pessoas usam essa palavra como uma coisa mais ligada a maquiagem e produtos de pele. Beleza virou um termo, não um adjetivo. Mas eu sempre falo para os meus amigos o que faço, e eles perguntam sim: “O que você usa no cabelo que não ficou careca igual seu pai?”, “Estou com espinha, como você faz?”. E eu falo, sempre falei, sempre fui muito aberto em relação a isso. Eu suava muito na axila, e quando eu soube que o botox ajudava, eu já fui logo fazendo, e muitos amigos vieram perguntar. Mas é engraçado porque vários gostam de falar desse assunto no privado, no particular.

9. Você postou agora na virada do ano uma foto com a Stéphany Vidal, sua namorada, celebrando um ano de namoro. Você está feliz da vida? Você achava mesmo que ia ser solteiro para sempre, mesmo sendo bonito e tão gente fina, como brincou na legenda? Bruno De Luca: No fundinho do meu coração eu tinha uma pontinha de esperança de que eu fosse encontrar alguém por quem eu fosse me apaixonar, mas eu já tinha cansado de buscar. Eu estava numa fase da vida de pensar: “ah, vou curtir, ser solteiro também é bom”. Eu estava numa de deixa a vida me levar. Quando a apareceu a Stéphany, tudo mudou, vi que eu gostava de ficar com alguém o tempo todo, encontrei um grande amor e uma grande amiga, de quem eu tenho orgulho, com quem me sinto bem e de quem não quero desgrudar. Eu já tinha me conformado de que não sentiria esse frio na barriga que sinto pela Stéphany. Foi uma surpresa muito maneira, estou muito feliz, espero que seja para sempre.

10. Na última pergunta eu deixo meus convidados livres para falarem algo que acham relevante e que não abordamos. O que você quer dizer? Bruno De Luca: Eu diria para os leitores da coluna, que é de uma grande dermatologista, que é a minha dermatologista há muitos anos: Cuide-se, nada melhor do que a gente estar bem com a gente mesmo. E se você está feliz com a sua aparência, não vá na opinião dos outros. Não ligue tanto para a opinião do outros. Seja feliz do que jeito que você consiga.

 

Continua após a publicidade

- Advertisement -