20.6 C
Canoas
Home Rio de Janeiro Campos, RJ, confirma três novos casos da variante delta da Covid-19; um...

Campos, RJ, confirma três novos casos da variante delta da Covid-19; um dos pacientes está na UTI

Amostras dos três pacientes, coletadas entre os dias 8 e 10 de agosto, fazem parte do estudo do Núcleo de Vigilância Epidemiológica do Hospital Ferreira Machado (HFM). Paciente de 66 anos que está na UTI tomou apenas a primeira dose da vacina, segundo a prefeitura. A secretaria de Saúde de Campos, no Norte Fluminense, confirmou, nesta segunda-feira (30), que foram identificados três novos casos da variante delta no município. Entre os infectados, está um mulher de 66 anos, internada na UTI. De acordo com a Prefeitura, a idosa tomou apenas a primeira dose da vacina.
Além desta mulher, a cepa do novo coronavírus também foi encontrada em amostras biológicas de dois homens, de 80 e 39 anos. Todas foram analisadas pelo Central de Saúde Pública do Rio de Janeiro Noel Nutels (Lacen/RJ).
As amostras dos três pacientes foram coletadas entre os dias 8 e 10 de agosto e fazem parte do estudo do Núcleo de Vigilância Epidemiológica do Hospital Ferreira Machado (HFM), coordenado pela Vigilância Epidemiológica e Superintendência de Informações Estratégicas de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde.
Os pacientes de 80 anos e 39 anos já receberam alta hospitalar. O primeiro está com esquema vacinal completo, enquanto que o segundo não há registro de vacina, segundo a prefeitura.
Com as novas confirmações, sobe para quatro o número de campistas infectados com a delta. O primeiro caso foi de um campista de 32 anos que testou positivo após desembarcar da Índia, em maio.
LEIA TAMBÉM:
Delta tem o dobro de risco de levar à hospitalização e pode sobrecarregar sistemas de saúde
Casos de delta saltam de 6% para 86% no RJ em dois meses, aponta estudo
A secretaria municipal de Saúde de Campos orienta a população a manter as medidas de prevenção como uso de máscaras, higienização corretas das mãos, além de manter o distanciamento social e tomar a vacina.
“A pessoa que não completa o esquema vacinal fica mais vulnerável à infecção, principalmente de novas variantes, do que aquela que recebeu as duas doses, ou seja, além de se expor ao risco de ser contaminado e adoecer, esse indivíduo não ajuda a controlar a circulação do vírus”, afirma o subsecretário de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde, Charbell Kury.
Sequenciamento
Além do estudo realizado pelo Núcleo de Epidemiologia do Hospital Ferreira Machado, que é feito por meio do sequenciamento genético de amostras coletadas nos pacientes, o município também mantém parceria com Instituto de Biodiversidade e Sustentabilidade (Nupem/UFRJ) de Macaé com objetivo de identificar, de forma precoce, as novas variantes da Covid-19.
De acordo com a Prefeitura, ainda há o trabalho do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) que faz o monitoramento desses pacientes.

- Advertisement -

Conecte

0FansLike
7FollowersFollow