21.5 C
Canoas
HomePolíticaDecisão contra perfis de direita gera novos ataques bolsonaristas ao TSE

Decisão contra perfis de direita gera novos ataques bolsonaristas ao TSE

No momento em que articuladores políticos do governo e líderes do Congresso tentam colocar panos quentes nos ataques de Jair Bolsonaro aos ministros do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral, os bolsonaristas — incluindo o presidente — encontraram mais um motivo para engrossar a ofensiva contra as Cortes superiores.

A decisão monocrática do corregedor do TSE, ministro Luís Felipe Salomão, de desmonetizar, ou seja, bloquear o repasse de dinheiro de publicidade das redes sociais para canais e blogs suspeitos de divulgarem fake news sobre eleições e urnas eletrônicas gerou uma nova onda de ataques bolsonaristas ao Judiciário.

Logo no início da manhã desta terça-feira, 17, o filho Zero Três do presidente, deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), chamou a decisão do TSE de “mais um passo da ditadura”. “Em decisão monocrática, corregedor do TSE determina a desmonetização dos canais e que eles sumam das ferramentas de buscas. Receberam a sanção sem o devido processo legal, sem contraditório e ampla defesa”, escreveu no Twitter.

Pouco depois, o próprio presidente, em entrevista à rádio Capital Notícia, de Cuiabá, engrossou o ataque. “O corregedor do TSE, o senhor Salomão, está mandando desmonetizar a página de quem diz que as urnas não são confiáveis ou precisam de uma maneira de serem auditadas. É isso que acontece no Brasil: a hipocrisia. Pouca gente tem coragem de falar a verdade. Nós temos que resistir”, disse.

A deputada Bia Kicis (PSL-DF), uma das mais ativas bolsonaristas nas redes sociais, afirmou que a decisão é uma “censura proibida pela Constituição Federal” e que há uma ofensiva contra representantes do seu espectro político. “A cada dia uma nova medida. Todas contra conservadores. É o vale-tudo contra qualquer um que apoie as pautas da direita”.

O deputado Filipe Barros (PSL-PR), que foi o relator da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) do voto impresso rejeitada pela Câmara, também criticou a decisão e disse ser a favor do fim da Justiça eleitoral.

A decisão de Salomão atinge alguns dos principais perfis bolsonaristas nas redes sociais, como o Jornal da Cidade Online, o Terça Livre, o Vlog do Lisboa, o Folha Política e o Taoquei, todos listados por Eduardo Bolsonaro como atingidos pelo bloqueio.

- Advertisement -spot_img

Conecte

0FansLike
7FollowersFollow