12.7 C
Canoas
Home Economia Energia solar atinge marca história em capacidade instalada no Brasil

Energia solar atinge marca história em capacidade instalada no Brasil


Segundo associação, Brasil entrou para o grupo dos 14 países com maior potência de geração desse tipo de energia. Painéis solares
Reprodução/TV TEM
O Brasil ultrapassou a marca histórica de 10 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica, em usinas de grande porte e em pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos, segundo informou a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).
Segundo a Absolar, os sistemas fotovoltaicos instalados no país já representam mais de 70% da potência da usina hidrelétrica de Itaipu, segunda maior do mundo e maior da América Latina. “Isso reforça o papel estratégico da tecnologia no suprimento de eletricidade no País, fundamental para a retomada do crescimento econômico nacional”, destacou a associação.
Câmara aprova projeto que cria marco legal para geração própria de energia
Conta de luz deve subir até 16,7% em 2022, diz superintendente da Aneel
Energia em alta: entenda o sistema de bandeiras e o peso na conta de luz
Com o avanço, o Brasil entrou para o seleto grupo de países com maior capacidade instalada de energia solar acima de 10 gigawatts (GW). O país aparece na 14ª posição e é o único da América Latina no top 15 do ranking elaborado pela Agência Internacional parta Energia Renováveis (Irena).
A liderança mundial é da China (253,8 GW de capacidade instalada em 2020), seguida pelos Estados Unidos (73,8 GW) e Japão (68,6 GW). Veja ranking abaixo:
China: 253,8 MW
EUA: 73,8 MW
Japão: 68,6 MW
Alemanha: 53,7 MW
Índia: 38,9 MW
Itália: 21,5 MW
Austrália: 17,3 MW
Vietnã: 16,5 MW
Coreia do Sul: 13,5 MW
Reino Unido: 13,4 MW
Espanha: 11,8 MW
França: 11,7 MW
Países Baixos: 10,2 MW
Brasil: 10 MW
Ucrânia: 7,3 MW
Energia solar cresce no Brasil
Maior fatia da geração vem dos telhados
Atualmente, as usinas solares de grande porte são a sétima maior fonte de geração do Brasil, segundo a Absolar. Os empreendimentos em operação estão localizados em 9 estados, nas regiões Nordeste (Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte), Sudeste (Minas Gerais e São Paulo) e Centro-Oeste (Tocantins).
As grandes usinas solares que fornecem eletricidade para o sistema interligado nacional, entretanto, respondem pela menor parte da capacidade instalada dessa fonte de energia. A maior fatia do bolo vem dos telhados.
No segmento de geração centralizada, o Brasil possui 3,5 GW de potência instalada em usinas solares fotovoltaicas, o equivalente a 1,9% da matriz elétrica do país. Já no segmento de geração própria de energia, são 6,5 GW de potência instalada.
“Ao somar as capacidades instaladas das grandes usinas e da geração própria de energia solar, a fonte solar ocupa, agora, o quinto lugar na matriz elétrica brasileira. Recentemente, a solar ultrapassou a potência instalada de termelétricas movidas a petróleo e outros fósseis, que representam 9,1 GW da matriz elétrica brasileira”, informou a associação.
Além de diversificar o suprimento de energia elétrica do país, a geração de energia sola reduz a pressão sobre os recursos hídricos.
De acordo com a entidade, a fonte solar já trouxe ao Brasil mais de R$ 52,7 bilhões em novos investimentos desde 2012 e evitou a emissão de 10,7 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.
“As usinas solares de grande porte geram eletricidade a preços até dez vezes menores do que as termelétricas fósseis emergenciais ou a energia elétrica importada de países vizinhos atualmente, duas das principais responsáveis pelo aumento tarifário sobre os consumidores”, afirmou o CEO da Absolar, Rodrigo Sauaia.
Contribuição de hidrelétricas para geração de energia atinge menor nível no Brasil

- Advertisement -

Conecte

0FansLike
7FollowersFollow