24.8 C
Canoas
HomeRio de Janeiro‘Faltou estudo!’, diz Paes, sobre deputados contra passaporte da vacinação

‘Faltou estudo!’, diz Paes, sobre deputados contra passaporte da vacinação

O Tribunal de Justiça do Rio negou nesta última terça (31) uma ação dos deputados do PSL contra a exigência do comprovante de vacinação para frequentar locais públicos e de uso coletivo da cidade. O pedido de habeas corpus, de autoria dos parlamentares Carlos Jordy, Major Fabiana e Chris Tonietto, foi enviado na última sexta (27), com a justificativa que a medida adotada pelo prefeito Eduardo Paes “viola o direito de ir e vir”.

+ Coronavírus: variante Delta é identificada em 96% das amostras no Rio

No documento, a desembargadora relatora, Márcia Perrini Bodart, afirma que o Supremo Tribunal Federal (STF) já havia permitido que os governadores e os prefeitos adotassem medidas restritivas de combate à Covid-19, incluindo “restrições de comércio, atividades culturais e à circulação de pessoas”. O mérito do habeas corpus ainda será julgado pela 4ª Câmara Criminal do Tribunal do Rio.

De acordo com o decreto da prefeitura, o comprovante da vacina contra a Covid-19 será obrigatório a partir do dia 15 de setembro para a entrada em locais de uso coletivo, como academias, museus, cinemas, estádios e pontos turísticos. A medida seria implantada a partir da quarta (1ª), mas foi adiada devido a problemas técnicos na plataforma ConecteSUS.

+ Tapete vermelho urgente: Barbara Paz e a imagem que está rodando o mundo

Nas redes sociais, os deputados anunciaram o pedido de habeas corpus e criticaram a obrigatoriedade da vacinação.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Em resposta, Eduardo Paes também alfinetou os parlamentares por meio da rede social. “Fico pensando como essa gente conseguiu matrícula em escola sem comprovar a vacina. Pensando bem, talvez seja essa a explicação: faltou estudo!”, publicou o prefeito.

- Advertisement -spot_img

Conecte

0FansLike
7FollowersFollow