27.4 C
Rio de Janeiro
Home Mundo Capa da ‘The Economist’ traz Brasil em década sombria

Capa da ‘The Economist’ traz Brasil em década sombria

A  edição desta semana da revista inglesa “The Economist” pôs o Brasil em sua capa regional voltada para a América Latina. Com a estátua do Corcovado respirando oxigênio artificialmente, a “Economist” afirma que o Brasil vive uma “década terrível”.

A edição especial tem dez páginas e é assinada pela correspondente Sarah Maslin. Entre os temas abordados estão a presidência de Jair Bolsonaro e os problemas na Amazônia.

“Bolsonaro não é a única razão pela qual seu país está num buraco”, afirma. “O sistema político que o ajudou a chegar ao cargo precisa de uma reforma profunda”.

Reportagem especial da revista “The Economist” sobre o BrasilDivulgação/Divulgação

Para a “Economist”, o Brasil está em retrocesso e em sua pior crise desde a redemocratização, em 1985. “Bolsonaro e Covid-19 são só os mais recentes em uma década de desastres”, segue a reportagem. 

“Os hospitais estão lotados, as favelas ecoam tiros e um recorde de 14,7% dos trabalhadores estão desempregados. Incrivelmente, a economia do Brasil está menor agora do que era em 2011 – e serão necessários muitos trimestres fortes, como o relatado em 1º de junho, para reparar sua reputação”, prossegue o texto.

“O número de mortos no Brasil em covid-19 é um dos piores do mundo. O presidente, Jair Bolsonaro, brinca que as vacinas podem transformar as pessoas em jacarés”, afirma.

Segundo a revista, a situação continuará se agravando enquanto Bolsonaro estiver no poder.