22.7 C
Rio de Janeiro
Home Rio de Janeiro Carnaval: fotógrafa faz intervenções artísticas em escolas de samba do Rio

Carnaval: fotógrafa faz intervenções artísticas em escolas de samba do Rio

A quadra da escola de samba Grande Rio, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, é a primeira de seis escolas  do grupo especial do Rio, considerado a elite do carnaval carioca, que vão receber, até domingo (14), intervenções artísticas da fotógrafa paulista Flávia Junqueira. Além de fotos, Flávia vai fazer vídeos, que ao fim do projeto serão editados em um documentário.

+ Grife carioca cria linha de roupas da Mangueira para ajudar agremiação

“A ideia de entrar nesses espaços foi justamente por entender que o carnaval é uma festa popular, muito característica de nosso país e, neste momento, com todas as restrições que estamos passando por causa do novo coronavírus, esses espaços estão extremamente vazios, quando a gente sabe que se fosse uma situação normal estariam repletos de pessoas, supercoloridos e com samba. As quadras são lugares de união do público”, disse a fotógrafa em entrevista à Agência Brasil.

+ Ipanema e Leblon são os bairros mais procurados por turistas no Carnaval

No lugar do ambiente vazio estará um cenário produzido por Flávia Junqueira com balões, confetes, serpentinas, papel picado e fumaça colorida nas cores de cada escola. “As fotos são sem ninguém, para refletir um pouco sobre este momento em que a gente vive e [espaços] que, na maioria das vezes, estariam lotado e com muitas festas. É mostrar o vazio junto com a festa. É uma intervenção um pouco triste, mas, ao mesmo tempo, uma homenagem e uma grande alegria poder levar para esses espaços algo da festa que o público teria normalmente”, comentou.

+ Lei Seca intensifica fiscalização no Rio durante a temporada de Carnaval

Nesta quinta (11), as intervenções serão nas quadras da Mangueira e do Salgueiro, na zona norte. Na sexta (12) será a vez da Beija-Flor de Nilópolis, também na Baixada. No sábado (13), a Mocidade Independente de Padre Miguel, na Zona Oeste, vai receber a fotógrafa e no domingo, fechando as intervenções nas quadras, será a vez da campeã de 2020, a Viradouro, de Niterói, na região metropolitana do Rio.

+ Carnaval: prefeitura usará comboios para fiscalizar blocos clandestinos

Continua após a publicidade

A escolha das escolas seguiu a classificação do carnaval de 2020, com as seis primeiras colocadas. “A gente não tinha como fazer em todas, já que são muitas e ficam em lugares muito distintos. Para conseguir viabilizar, achamos que uma possibilidade era homenagear as seis primeiras colocadas no carnaval”, afirmou.

Sambódromo

O palco dos desfiles também vai receber uma intervenção artística. Na terça (16) de carnaval, com autorização da prefeitura do Rio e por meio da Riotur, Flávia Junqueira vai poder fazer as fotos e os vídeos, que considera com um perfil mais poético, com movimento dos objetos usados nos cenários. No local, que será aberto apenas para a fotógrafa fazer o seu trabalho artístico, as cores vão representar todas as agremiações.

+ Folia em casa: Zeca Pagodinho vai fazer live no sábado de Carnaval

“A gente finaliza o projeto com essa intervenção que tem uma escala maior, justamente pela arquitetura do espaço. Eu utilizo balões maiores com as cores misturadas de todas as escolas, no lugar que recebe todas elas. Vai ser também uma homenagem a esse espaço arquitetônico que também estaria em festa neste momento, mas infelizmente está vazio”, acrescentou.

+ Anitta anuncia bloco on-line e reality show em ilha paradisíaca

A iniciativa conta com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), e segue as regras de segurança sanitária. O cenário é montado para as fotos e vídeos e, com o trabalho encerrado, tudo é desmontado para evitar que provoquem aglomerações de quem for ao local para tentar ver o trabalho.

+ Carnaval em casa: Cordão da Bola Preta fará três apresentações on-line

A artista Flávia Junqueira, que atualmente está com a exposição Revoada, no Farol Santander de Porto Alegre, depois de ter ocupado o Farol de São Paulo, é reconhecida pela originalidade de seu trabalho, mostrado em galerias e museus de diversos países. Entre os principais projetos e exposições coletivas de que participou, estão a Culture and Conflict, IZOLYATSIA in ExilePalais de TokyoThe World Bank Art Program e o prêmio Energias na Arte, no Instituto Tomie Otahke. Algumas de suas obras integram o acervo de museus e espaços culturais no Brasil, como o Museu de Arte do Rio (MAR-RJ), Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP) e Museu do Itamaraty.

Continua após a publicidade