23.4 C
Rio de Janeiro
Home Rio de Janeiro Fiocruz lança plano para apoiar população em favelas do Rio na pandemia

Fiocruz lança plano para apoiar população em favelas do Rio na pandemia

Para auxiliar na resposta ao enfrentamento da pandemia da Covid-19 e seus efeitos nas comunidades, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou na quarta (24) a Chamada Pública para Apoio a Ações Emergenciais de Enfrentamento à Covid-19 nas favelas do Rio.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A iniciativa conta com o aporte financeiro de R$ 20 milhões, doados pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) em 2020.

A chamada pública irá financiar projetos em todo estado do Rio que contribuam para ampliar a participação social na vigilância em saúde de base territorial nas favelas fluminenses. O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis até o dia 29 de abril. O resultado final será divulgado no dia 7 de junho.

+ Covid-19: Paes anuncia auxílio emergencial para 900 000 pessoas no Rio

As propostas poderão se encaixar em quatro faixas de orçamento: até R$ 50 000; até R$ 150 000; até R$ 300 000 e até R$ 500 000 . Além disso, poderão se vincular a duas ou mais das sete áreas de interesse: apoio social; comunicação e informação; saúde mental; proteção individual e coletiva; apoio à testagem, rastreamentos e isolamento; educação e promoção de territórios saudáveis e sustentáveis.

Segundo a Fiocruz, inicialmente, a chamada pública selecionará para financiamento imediato os primeiros 41 projetos aprovados com o montante de R$ 4,5 milhões.

+ Covid: 14 dias de restrições podem reduzir 40% da transmissão, diz Fiocruz

“Podem se candidatar as organizações da sociedade civil sem fins lucrativos com existência comprovada há pelo menos um ano, localizada em favela ou que seja atuante na favela, com histórico comprovado de trabalho junto às favelas e também os coletivos sem personalidade jurídica baseados e atuantes em favela, desde que os projetos sejam apresentados por instituição parceira legalmente constituída”, informou a Fiocruz.

Continua após a publicidade