24.5 C
Rio de Janeiro
Home Rio de Janeiro Não vai ter Carnaval, mas vai ter live

Não vai ter Carnaval, mas vai ter live

O samba agoniza mais não morre e foi com essa esperança no peito que assisti emocionada Nelson Sargento, baluarte da Mangueira, ser vacinado esta semana contra a Covid, aos 96 anos. Esse ano não vai ser igual aquele que passou…nem Carnaval teremos. Espero que seja a única vez, na minha existência, que passo por isso – não mergulhar fundo na folia, por uma semana, para aguentar o rojão do resto do ano. Carnaval é meu colágeno e falando nele, esse ano faço 40 e preciso começar esta reposição.vai

Não vai ter Carnaval mas vai ter live. No Papo de Música, durante todas as quartas de fevereiro, teremos lives sobre samba e Carnaval. A série de quatro lives faz parte do projeto “Pelas Quadras do Samba” aprovado pela Lei Aldir Blanc. Fico imaginando o que seria de nós, produtores de conteúdo cultural, sem os editais da Aldir. Assim como me pergunto o que será de milhares de brasileiros que deixarão de receber o auxílio emergencial. A pandemia ainda não acabou, a logística da vacinação num país continental como o Brasil é difícil e muitos dos nossos governantes são negacionistas. Esse combo é perigosíssimo, ainda mais sem Carnaval. Não pense que a folia momesta é só a maior festa popular do mundo, Carnaval é, antes de tudo, resistência e saúde mental.

Estreando a série de lives “Pelas Quadras do Samba”, recebo nesta quarta, 3 de fevereiro, o carnavalesco da Estação Primeira, Leandro Vieira, e o jornalista Pedro Willmersdor. Leandro já passou pelo Papo de Música no início de 2020, naqueles meses pré paralisação mundial, quando ainda misturávamos a esperança de um novo ano com a angústia do devir. Já Pedro é um colega de profissão que acompanho e admiro há anos, um expert em samba enredo, um dos subgêneros do samba.

Dia 10 de fevereiro, vou receber o escritor, historiador e professor Luiz Antônio Simas, que entre outros livros, escreveu junto com Nei Lopes o “Dicionário da História Social do Samba”, ganhador do Prêmio Jabuti 2016 na categoria “livro de não ficção”. Além de Simas, o jornalista Jader Moraes também vai participar do papo. Como dizem por aí, não tenho nem roupa pra isso.

A escritora Helena Theodoro, autora do livro “Martinho da Vila: reflexos no espelho” (editora Pallas), é a convidada da entrevista, ao vivo, do dia 17 de fevereiro. A autora em sua pesquisa, situa Martinho como artista e intelectual e apresenta um personagem que tem uma trajetória rica em sabedoria, cultura, vitórias e resistência. O prefácio é assinado por Simas porque no samba, de um jeito ou de outro, todos se encontram. O jornalista Lucas Nobile, autor da biografia sobre a primeira dama do samba, Dona Ivone Lara, completa essa mesa virtual. Falando em Martinho, ele é meu convidado no canal Papo de Música no dia 23 de março. Parece uma data distante mas o tempo tem passado mais rápido do que conseguimos acompanhar, então já anota na agenda.

Encerrando a websérie, no dia 24 de fevereiro, converso com Marilda Santanna, escritora, professora e pesquisadora da Universidade Federal Fluminense. Autora de “As Bambas do Samba”, o livro destaca e reconhece a importância da figura feminina na estruturação do samba como símbolo de identidade nacional e como instrumento de empoderamento. Completando o time, o jornalista e escritor Leonardo Bruno, autor dos livros “Zeca Pagodinho – Deixa o samba me levar” (editora Sonora), “Cartas para Noel – Histórias da Vila Isabel” e “Explode, coração – Histórias do Salgueiro”, ambos da editora Verso Brasil.

Com exceção da estreia, todas as lives acontecem das 19h às 20h, no canal Papo de Música no Youtube. Amanhã, o papo começa um pouco mais tarde, às 21h. Mas prometo que antes do BBB começar, todos já estarão liberados para essa alienação coletiva.

Continua após a publicidade