16 C
Canoas
Home Rio de Janeiro Justiça determina que heliponto às margens da Lagoa seja desativado

Justiça determina que heliponto às margens da Lagoa seja desativado

O heliponto às margens da Lagoa terá que ser desativado para que toda a área que ele ocupa volte a ser utilizada como ponto de lazer e recreação. A determinação é do juiz Wladimir Hungria, da 5ª Vara de Fazenda Pública, que declarou nulos os termos de permissão e concessão para exploração do ponto de embarque e desembarque de helicópteros. Ele também condenou a empresa Helisul Táxi Aéreo e a Prefeitura do Rio a reparar e a reurbanizar o espaço antes de devolvê-lo à população.

Entrevista: ‘Eu sobrevivi ao ano enfeitiçado’, diz Jorge Aragão

Ele também condenou a empresa Helisul Táxi Aéreo e a Prefeitura do Rio a reparar e a reurbanizar o espaço antes de devolvê-lo à população. A Lagoa e seu entorno são tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 2000 e, por isso, a Justiça não concordou com a utilização da área por uma empresa privada.

Estado do Rio prevê mistura de vacinas para maiores de 60 anos na 3ª dose

Passados 30 dias após a decisão, nenhuma  atividade relacionada a serviços de helicópteros – como pousos e decolagens – será permitida naquela área, sob pena de multa diária de 20 000 reais. De acordo com o jornal O Globo, a sentença determina ainda um prazo de 180 dias para que o espaço seja totalmente recuperado e devolvido aos cariocas em suas condições originais.

Projeto de lei: Rio terá conselho municipal contra intolerância religiosa

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

- Advertisement -

Conecte

0FansLike
7FollowersFollow