16 C
Canoas
Home Rio de Janeiro Secretário de Saúde exalta adesão à vacina, mas lembra que 300 mil...

Secretário de Saúde exalta adesão à vacina, mas lembra que 300 mil cariocas ainda não foram imunizados


Segundo Daniel Soranz, percentual da população adulta que ainda não foi vacinada corresponde a 5%. Com o calendário de vacinação da 1ª dose na reta final, o secretário de Saúde do Rio, Daniel Soranz, comemorou em entrevista ao podcast Desenrola, Rio a adesão dos cariocas à vacina contra a Covid. Ainda assim, Soranz lembrou que 300 mil pessoas ainda não foram imunizadas.
“A gente tem que reconhecer que o carioca gosta de vacinar. Foi pra unidades [de saúde] em dias com chuva, com sol. Alcançamos uma cobertura que muitos países do mundo não conseguem alcançar”, vibrou Soranz.
“Agora, ainda faltam 5% dessa população adulta que precisa se vacinar. E que vão ocupar hospitais e aumentar a disseminação da Covid se não se vacinarem. A gente tem aproximadamente 300 mil cariocas que não foram se vacinar e que precisam se vacinar”, reforçou o secretário.
Durante a entrevista, Soranz também ressaltou as dificuldades enfrentadas para a entrega dos imunizantes. A demora do Ministério da Saúde em distribuir lotes chegou a ser alvo de críticas dele e do prefeito Eduardo Paes.
“A gente teve uma dificuldade muito grande de ter um abastecimento contínuo de vacinas. Se tivesse vacina, já tinha finalizado essa campanha no mês de junho, sem nenhum problema”, pontuou.
VÍDEO: Rio divulga vacinação para adolescentes com deficiência e repescagem para quem tem 25 anos ou mais
Vacinação de adolescentes nesta quinta
A Prefeitura do Rio de Janeiro informou na terça-feira (24) que os adolescentes poderão começar a se vacinar contra a Covid-19 a partir desta quinta-feira (26).
Além disso, a aplicação da segunda dose do imunizante segue normalmente no município, assim como a repescagem para quem tem mais de 25 anos.
Rio inicia terceira dose de vacina contra Covid em idosos de asilos em 1º de setembro
Carioca ‘hipervacinado’ com cinco doses foi a três postos e aproveitava quedas no sistema para enganar os aplicadores
Uma em cada sete mortes por Covid no Brasil na última semana ocorreu no RJ
O primeiro grupo a poder receber a vacina no Rio será de meninas com 17 anos.
“Nesta quinta-feira, 26 de agosto, meninas com 17 anos poderão receber a primeira dose da vacina contra a covid-19. No dia seguinte, sexta-feira, a vacinação será destinada aos meninos com 17 anos, e, no sábado, às pessoas com 17 anos ou mais”, informou a prefeitura.
Adolescentes poderão começar a se vacinar contra a Covid-19 a partir da próxima quinta-feira (26)
Divulgação Prefeitura do Rio
Na semana seguinte, o calendário segue, de forma escalonada por idade e sexo, até chegar aos meninos de 15 anos, que recebem a primeira dose na sexta-feira (3).
Também podem se vacinar nesta quarta (25) pessoas com 25 anos ou mais.
“Amanhã, 25/08, adolescentes com deficiência, gestantes, puérperas e lactantes com 12 anos ou mais poderão se vacinar contra a covid-19. Também será realizada a vacinação permanente de pessoas com 25 anos ou mais”, disse a Secretaria Municipal de Saúde em comunicado.
Em todos os dias, continua a vacinação permanente de Pessoas com Deficiência (PcD), gestantes, puérperas e lactantes com 12 anos ou mais. As unidades também seguem aplicando a segunda dose, conforme a data estipulada no comprovante da primeira.
Secretaria cobra distribuição dentro do prazo
A cidade do Rio não tem vacinas suficientes para dar sequência à campanha com os adolescentes.
A prefeitura do Rio já havia cancelado a repescagem de vacinação contra a Covid para pessoas com idades entre 20 e 29 anos no sábado (21).
Com o cancelamento, os postos de vacinação do município aplicaram apenas as segundas doses agendadas para o dia. A primeira dose ficou restrita para os remanescentes do público acima de 30 anos, pessoas com deficiência, gestantes, puérperas e lactantes.
“A Secretaria Municipal de Saúde reitera a importância de o Ministério da Saúde distribuir as doses recebidas no prazo máximo de 24/48 horas, para que não haja comprometimento dos calendários de vacinação dos municípios brasileiros”, disse ainda o órgão.
Na sexta-feira (20), o prefeito Eduardo Paes disse que o Rio bateu o recorde de casos de Covid esse ano e afirmou que os dados são “preocupantes” com o avanço da variante delta.
A informação foi dada durante a divulgação do 33º Boletim Epidemiológico do Rio, que revelou ainda que todas as regiões da cidade seguem classificadas como sendo de risco alto para a doença.

- Advertisement -

Conecte

0FansLike
7FollowersFollow