16.9 C
Canoas
Home Rio de Janeiro Palácio Capanema, no Rio, pode entrar em lista de imóveis que serão...

Palácio Capanema, no Rio, pode entrar em lista de imóveis que serão vendidos pelo governo federal


Construção é um marco da arquitetura moderna e foi sede dos ministérios da Educação e da Saúde Pública. Projeto tem assinatura dos mais importantes arquitetos brasileiros de todos os tempos. Palácio Gustavo Capanema, no Centro do Rio
Reprodução/TV Globo
O Palácio Capanema, no Centro do Rio, foi listado como um dos dois mil imóveis que podem ser colocados em um feirão do Governo Federal. O anúncio foi feito pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.
O palácio é um marco da arquitetura moderna e foi sede de dois ministérios, quando o Rio era capital federal: o da Educação e da Saúde Pública.
O palácio, cujo prédio tem 16 andares, é considerado símbolo do modernismo. A fachada é revestida com azulejos de Cândido Portinari e tem jardim de Burle Marx.
Fachada do Palácio Gustavo Capanema, no Centro do Rio
Reprodução/TV Globo
O projeto tem as assinaturas dos mais importantes arquitetos brasileiros de todos os tempos. Entre eles, Oscar Niemeyer, Lúcio Costa, Carlos Leão, Jorge Machado Moreira, Afonso Eduardo Reidy e Ernani Vasconcelos.
O palácio conta ainda com a consultoria de Le Corbusier, mestre francês da arquitetura moderna.
Marco da arquitetura moderna, Palácio Capanema pode ser vendido
Reprodução/TV Globo
Em 1943, o Palácio Capanema foi escolhido o edifício mais avançado do mundo, em construção, pelo Museu de Arte Moderna de Nova York.
O lançamento da pedra fundamental homenageou o então ministro da Educação, Gustavo Capanema.
O anúncio da privatização que inclui ainda os prédios Central e A Noite teve reações imediatas. Marcelo Calero, ex-ministro da Cultura criticou.
“Nós não estamos falando de um lugar abandonado, ao contrário. Mais do que isso, estamos falando de um verdadeiro marco civilizatório na História do nosso país. É impensável que o Brasil deixe de contar com um patrimônio dessa natureza. Apenas um governo totalmente dissociado da nossa cultura, um governo que não tem o menor compromisso patriótico pensaria, de fato, em se desfazer de um prédio tão icônico como o Palácio Capanema”, afirma.
Em nota conjunta, 10 instituições ligadas à cultura e à arquitetura afirmam que receberam com assombro a notícia da venda de um marco da arquitetura moderna em um feirão de imóveis.
Para as entidades, o MEC tem um valor incalculável. Pablo Benetti, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio, diz que a venda seria ilegal porque o prédio é tombado pelo patrimônio histórico e artístico nacional.
“Um prédio tombado não pode ser vendido (…) só pode ser repassado para outro ente estadual e federal. Então, é uma venda ilegal”, afirma.

- Advertisement -

Conecte

0FansLike
7FollowersFollow